Minas Gerais é o estado que lidera a geração distribuída da energia limpa

Minas Gerais é o estado que lidera a geração distribuída da energia limpa

Minas Gerais é o estado que lidera a geração distribuída da energia limpa, porém o Rio de Janeiro lidera o ranking da cidade com maior volume de geração, com 17,7MW.

Rio de Janeiro lidera o ranking de produção de energia solar distribuída no País

Apesar da crescente busca por energia solar no Brasil, o país ocupa apenas a 10ª posição dos que mais produzem e consomem energia solar

Apesar da crescente busca por energia solar no Brasil, o país ocupa apenas a 10ª posição dos que mais produzem e consomem energia solar, representando hoje 1,2% da matriz energética brasileira. Em 2018, a capacidade instalada de energia solar representou 1,2 GW, totalizando 2,4GW de capacidade instalada acumulada.

Em termos de potência instalada na geração distribuída, o Rio de Janeiro lidera o ranking da cidade com maior volume de geração, com 17,7MW. Porém, Minas Gerais é o estado que lidera a geração distribuída da energia limpa.

Segundo dados de 2019 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e Associação Brasileira de Energia Fotovoltaica (ABSOLAR), três municípios do estado mineiro estão presentes no ranking das dez cidades em potência instalada na geração distribuída do País.

Essa liderança de Minas Gerais deve-se aos grandes incentivos do governo do estado, que foi pioneiro em conceder isenção do ICMS para projetos de energia fotovoltaica.

A cidade mineira com maior número de instalações de sistema é Uberlândia, com um total de 14,8MW instalados, seguida da capital Belo Horizonte que possui 10,3MW e Buritizeiro (uma cidade com menos de 30 mil habitantes) com 8,8MW.

No ranking das cidades também se destacam Brasília (Centro-Oeste), Fortaleza, Cuiabá, Teresina e Goiânia (Nordeste). Curiosamente, o Rio Grande do Sul está em segundo lugar no ranking dos estados brasileiros com mais potência instalada no País, apenas com a pequena Santa Cruz do Sul, no centro do Estado, com 189,7 MW instalados.

Esse destaque é explicado pelo fato do Rio Grande do Sul ter mais sistemas de energia solar comerciais instalados, que possuem maior potência se comparados aos sistemas residenciais. De acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a cidade de Santa Cruz do Sul possui em operação mais de 500 usinas de geração de energia fotovoltaica instalados em residências e comércio.

Em terceiro lugar está a cidade de São Paulo que possui um dos maiores registros de sistemas instalados em residências, de acordo com dados da Aneel. “Uma das nossas maiores riquezas é o nosso sol, temos o clima e território perfeito, e saber aproveitar este recurso que está disponível é mais que inteligente, é sustentável e necessário. Eu vejo o nosso trabalho como um serviço de utilidade pública”, comenta Alcione Belache, CEO da Renovigi, líder brasileira na produção de sistemas fotovoltaicos.

De acordo com um relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU), o uso da energia renovável é uma tendência mundial. Hoje, é considerada a principal responsável pelo desenvolvimento sustentável. Somente em 2018, foram investidos US$ 139,7 bilhões em energia solar no mundo.

Ranking municipal em potência instalada (MW) no país

1º Rio de Janeiro – RJ – 17,7 (1,5%)
2º Brasília – DF – 16,3 (1,3%)
3º Fortaleza – CE – 15,6 (1,2%)
4º Uberlândia – MG – 14,8 (1,2%)
5º Cuiabá – MT – 12,4 (1%)
6º Santa Cruz do Sul – RS – 11,0 (0,9%)
7º Teresina – PI –– 8,8 (0,9%)
8º Belo Horizonte – MG – 10,3 (0,8%)
9º – Goiânia – GO – 9,6 (0,8%)
10º Buritizeiro – MG – 8,8 (0,7%)

Ranking entre os estados

1º Minas Gerais – 241,9 (19,9%)
2º Rio Grande do Sul – 189,7 (15,6%)
3º São Paulo – 156,3 (12,9%)
4º Mato Grosso – 81,7 (6,7%)
5º Paraná – 59,4 (4,9%)
6º Rio de Janeiro – 55,3 (4,6%)
7º Santa Catarina –– 54,9 (4,5%)
8º Goiás – 48,3 (4%)
9º – Ceará – 47,7 (3,9%)
10º Pernambuco – 33,9 (2,8%)

Fonte: www.absolar.org.br