Energia solar avança em Minas

Energia solar avança em Minas

Cemig anunciou nesta terça-feira (25) investimentos de R$ 300 milhões em geração e distribuição

Cledorvino Belini, diretor presidente da Cemig, anunciou nesta terça-feira (25) um aporte de R$
300 milhões em geração e distribuição de energia solar no Norte de Minas. Segundo ele, metade
desse investimento será feito pela concessionária energética e a outra metade virá da iniciativa
privada. A licitação será publicada no começo do próximo mês. “Até o final deste ano, queremos
concluir a geração solar de cerca de 60 MW”, afirmou Belini, que acrescentou que o projeto
ficará por conta da subsidiária Cemig Geração Distribuída. “A empresa atua em todo o Estado,
mas há mais oportunidades no Norte de Minas Gerais”, acrescentou ele.

O anúncio foi feito nesta terça-feira em debate público realizado na Assembleia Legislativa de
Minas Gerais (ALMG), com a presença de representantes do Ministério de Minas e Energia
(MME), da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e do Operador Nacional do Sistema
Elétrico (ONS). Em coletiva, o presidente da Cemig também disse que a empresa tem como meta
atingir 1 GW em geração distribuída num futuro próximo. “Vamos tentar num prazo muito curto.
São R$ 5 bilhões de investimento, e é onde estamos fazendo as parcerias com a iniciativa
privada”, disse Belini.

Pela geração distribuída, quem instalar painéis fotovoltaicos pode enviar a energia produzida
para a rede. O plano é que a Cemig invista principalmente nas linhas de transmissão, para
entregar energia em pontos como lojas, supermercados e pequenas indústrias.
Segundo o presidente da Comissão Extraordinária das Energias Renováveis e dos Recursos
Hídricos da ALMG, o deputado Gil Pereira (PP), os leilões da Aneel para transmissão podem
ajudar o Estado, que é o líder na produção do tipo, a atrair ainda mais recursos do setor. Pereira
citou uma subestação de 1 GW, planejada para ficar pronta entre 2021 e 2021, na cidade de
Janaúba, que está à espera do próximo leilão da Aneel, marcado para o dia 28. “Há outro projeto
de 750 MW e outro de 570 MW. São mais de R$ 10 bilhões a curto prazo”, disse, citando a
importância de mais usinas de biomassa, biogás e eólica no Estado.

Capturar.JPG

Privatização não vai afetar projetos

Na visão do diretor presidente da Cemig, Cledorvino Belini, o projeto de privatização da
empresa, que é parte do plano de recuperação fiscal do Estado, não deve afetar os investimentos
na área de energia renovável. “Se a Assembleia Legislativa aprovar (a privatização), se todo o
modelo for aprovado, sem dúvida nenhuma a geração distribuída será um grande ativo para a
venda”, afirmou.

Líder na geração distribuída de energia, Minas Gerais responde por 21% de toda a potência
instalada no país. Com 17.324 empreendimentos energéticos, o Estado tem uma capacidade bruta
de 223,14 MW a partir de fontes renováveis – no Brasil, a potência instalada é próxima de 1 GW.
Além dos projetos pontuais no Norte de Minas, a empresa prevê, para os próximos quatro anos,
um investimento de R$ 8,3 bilhões – dos quais aproximadamente R$ 6 bilhões serão empregados
na distribuição. “A tecnologia da Cemig é a melhor do Brasil. Somos os melhores em geração e
transmissão”, disse o executivo.

Capturar.JPG

Na mesma linha, o deputado Gil Pereira acredita que a empresa continuará atraindo investidores.
“Independentemente de a Cemig ser estatal ou privada, continua o interesse do setor privado para
esses investimentos”, disse o parlamentar, que afirmou que a legislação estadual facilita a
implementação. “O próprio governador Zema já determinou às secretarias de Desenvolvimento
Econômico (Sedectes) e do Meio Ambiente (Semad) que deem celeridade a esses projetos,
porque geram muito emprego e causam baixo impacto”.

Fonte: O Tempo.

Siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de todas as nossas ações !